Úlceras de Pressão

Guidelines na Prevenção e Tratamento de Úlceras de Pressão

terça-feira, Abril 12, 2005

A Pesquisa B-On

Resolvi seguir as indicações das professoras e fui pesquisar na Biblioteca do Conhecimento On-line...
Esta ferramenta mostrou-se particularmente interessante e permitiu-me encontrar vários textos relacionados com o estudo das Úlceras de Pressão. Após realizar uma pesquisa avançada, encontrei 39 artigos, um dos quais sobre a etiologia, isto é a origem destas feridas.Resolvi colocar em post os esquemas disponíveis, pois apesar de estarem em inglês são bastante claros:


(Clique na imagem para a ver com mais detalhe)


(Clique na imagem para a ver com mais detalhe)


(Clique na imagem para a ver com mais detalhe)


(Clique na imagem para a ver com mais detalhe)

Aconselho a consulta do artigo integral, pois fornece informações várias sobre formas de prevenção de úlceras de decúbito, relacionadas com a etiologia desta patologia.

domingo, Abril 03, 2005

Guidelines para o Tratamento de Úlceras de Pressão


Continuando a pesquisa no site da EPUAP, encontrei as Guidelines para o Tratamento de Úlceras de Pressão.
De uma forma geral, o documento aborda:
  • a definição de escara;
  • a sua classificação ( definida noutro post deste blog);
  • a avaliação global da ferida - em termos de localização, grau, tamanho, dor, estado da pele circundante, exsudado - e a sua reavaliação contínua;
  • a avaliação das complicações - dor, malnutrição, alterações psicossociais - e seu respectivo tratamento;
  • a gestão da pressão exercida sobre os tecidos - recorrendo a posicionamentos frequentes e dispositivos especializados para o efeito - nas 24 horas do dia;
  • o tratamento da ferida - remoção de tecidos desvitalizados (mortos), o chamado desbridamento, de forma a promover a cicatrização, avaliar a profundidade da úlcera e remover tecidos favoráveis à infecção;
  • a limpeza da ferida - aconselha-se o uso de soro fisiológico ou água corrente potável, para limpar as feridas. Esta limpeza deve realizar-se por irrigação. O uso de antisépticos é desaconselhado para limpar úlceras;
  • os pensos - o penso ideal terá que manter o meio húmido e deve ser seleccionado com base nas características da ferida a tratar;
  • o tratamento da colonização e infecção bacterianas - o tratamento com antibioterapia só é aconselhado quando existem sinais clínicos evidentes de infecção - presença de exsudado e mau cheiro na ferida, febre, agravamento do estado geral do doente.

Fonte: adaptado de http://www.epuap.org/gltreatment.html.

sábado, Abril 02, 2005

Guidelines para a Prevenção de Úlceras de Pressão

Encontrei precisamente o assunto que me propus tratar neste blog.
Existe uma associação europeia que emana linhas orientadoras para a prevenção de escaras de decúbito, a European Pressure Ulcer Advisory Panel (EPUAP).
Esta entidade foi criada, em 1996, com o intuito de apoiar e liderar todos os esforços dos países europeus na prevenção e tratamento de Úlceras de Pressão. Para aceder à informação facultada por esta entidade, e dada a sua pertinência no estudo deste assunto, o link encontra-se disponível neste blog.
As Guidelines para a Prevenção de Úlceras de Pressão abordam:


  • os factores de risco e escalas de avaliação desse risco - a prevenção começa pela identificação dos factores que propiciam o aparecimento de escaras e o modo como estes irão actuar sobre o indivíduo. A quantificação do risco é importante pois permite definir prioridades e estabelecer medidas preventivas individualizadas para cada utente.
  • a pressão externa e superfícies de apoio - um dos objectivos da prevenção é proteger dos efeitos adversos das forças mecânicas (pressão, fricção e torsão).
  • a formação - a educação é vista como factor preponderante na prevenção de escaras. Os programas educativos devem ser dirigidos e adaptados a todos aqueles que lidem com doentes de risco, sejam profissionais de saúde ou outros cuidadores.


A informação referente a este assunto está disponível online no sítio oficial da EPUAP, em http://www.epuap.org/glprevention.html (em inglês) ou, em folheto informativo (versão portuguesa), disponibilizado por várias entidades oficiais e laboratórios.

sexta-feira, Abril 01, 2005

Regiões de maior frequência de Úlceras de Pressão

Em mais uma das inumeras pesquisas no Google fui encaminhada para o The Spinal Cord Injury Resource Center onde encontrei uma figura que evidencia as regiões em que mais frequentemente ocorrem úlceras de pressão.


(Clique na imagem para a ver com mais detalhe)

quarta-feira, Março 30, 2005

Evolução das Úlceras de Pressão

Encontrei numa pesquisa no Google este esquema, que posteriormente adaptei, e que resume a evolução de uma úlcera de pressão, desde um simples rubor até ser uma ferida profunda que atinge todos os niveis tissulares.


(Clique na imagem para a ver com mais detalhe)

terça-feira, Março 29, 2005

Classificação das Úlceras de Pressão

As Úlceras de pressão podem classificar-se de acordo com vários critérios:
  • tipo de tecido;
  • profundidade;
  • coloração;
  • entre outras características.

De um modo geral, a classificação aceite internacionalmente, e aconselhada pelas entidades oficiais, que se dedicam a este assunto é baseada na profundidade da ferida. Esta classificação revela-se menos ambígua e de fácil avaliação. Uma úlcera de pressão pode ter 4 graus:


  • Grau I - eritema não branqueável - ruborização da pele, que não branqueia sob pressão. Em indivíduos de raça negra pode notar-se a presença de descoloração, calor, edema ou dureza da epiderme.


(Clique na imagem para a ver com mais detalhe)

  • Grau II - flictena ou abrasão - perda parcial de pele que envolve a epiderme e/ou a derme.


(Clique na imagem para a ver com mais detalhe)


  • Grau III - perda da espessura total da pele até fáscia subjacente, mas sem a atingir totalmente. Por outras palavras a destruição estende-se até à película que envolve os músculos.


(Clique na imagem para a ver com mais detalhe)

  • Grau IV - destruição extensa, necrose dos tecidos, ou lesão muscular, óssea ou das estruturas de apoio. A destruição atinge tecidos profundos, como sejam os músculos e ossos.


(Clique na imagem para a ver com mais detalhe)



Fonte: adaptado de Grupo Associativo de Investigação de Feridas (GAIF). (2004). Estudo de Incidência com a Escala de Braden, Pampilhosa da Serra, CD-Rom.

terça-feira, Março 15, 2005

As Úlceras de Pressão e a Enfermagem

As Úlceras de Pressão são ainda, infelizmente, uma realidade com que tem de se contar quer ao nível das instituições de saúde, quer ao nível domiciliário.

E se é verdade que nas últimas décadas, muitos passos se deram para a sua prevenção, não é menos verdade que outros ainda se têm de dar, com certeza ainda maiores, face ao aumento das oportunas exigências sociais, quer face ao desenvolvimento tecnológico acelerado. Ao nível do nosso país, infelizmente nem sempre os serviços de saúde dispõem dos meios necessários à sua prevenção e também ao seu tratamento. E este aspecto é tão verdade em relação aos meios materiais, mas é sobretudo verdade ao nível dos meios humanos.

De facto nem sempre as dotações do pessoal de Enfermagem, e outro, estão adequadas às necessidades quer dos serviços de saúde ligados ao SNS, quer ainda de outros como sejam os ligados à Segurança Social, e privados. Um sentimento de incapacidade, por parte do pessoal de saúde, nomeadamente dos enfermeiros, em prevenir as Úlceras de Pressão, pode muitas vezes ser aceitável. Sendo estes os primeiros a reconhecerem as limitações dos serviços, até porque são eles que acompanham o desenvolvimento da escaras, terão também eles de ser os últimos a desistirem de trabalhar continuamente, por vezes em condições difíceis, para evitarem a sua formação. (…) a prevenção das Úlceras de Pressão é possível quase sempre, embora o trabalho realizado de âmbito preventivo nem sempre seja avaliado e reconhecido convenientemente, a persistência de um trabalho continuado, muitas vezes de impossível quantificação tem de ser mantido.

É em função destas evidências, que surge um contínuo interesse em aprofundar conhecimentos, e em discutir experiências sobre a temática das Úlceras.

Fonte: HENRIQUES, Fernando; FERREIRA, Maria. (1997) – Técnicas de Reabilitação II. Editora Formasau, Coimbra, pág. 59.

O Tema - 2.ª Parte


Após algumas pesquisas, finalmente consegui delimitar a área a explorar para este blog...o tratamento e a prevenção de úlceras de decúbito.

Percebi que existem muitos tratamentos e métodos de prevenir as Úlceras de Pressão, tantos e tão variados que decidi procurar no meio da diversidade aquilo que é comum. Isto é: quais são as guidelines, as linhas orientadoras na prevenção e tratamento de Úlceras de Pressão?

terça-feira, Março 08, 2005

A Morte do Super-Homem

Em 1995, uma queda de um cavalo transformou Christopher Reeve de um actor sobejamente conhecido como o Super-Homem num tetraplégico.
Dez anos depois, Reeve morreu de complicações de uma úlcera de pressão chamando assim a atenção para um dos mais sérios problemas que as pessoas com deficiência enfrentam. (...)



Fonte: adaptado de http://www.mayoclinic.com/invoke.cfm?id=DS00570 (acedido a 8 de Março de 2005)




Este é o exemplo mais mediático das consequências extremas de uma Úlcera de Pressão, que neste caso específico conduziram à morte de uma pessoa...

domingo, Fevereiro 20, 2005

O que são Úlceras de Pressão

O que são Úlceras de Pressão ?
Uma Úlcera de Pressão ( também chamada de úlcera de decúbito ou escara) é uma área de pele ou tecido lesada. Quando um indivíduo não muda de posição com a frequência necessária, aumenta a pressão exercida em certas áreas corporais. As úlceras de pressão podem também resultar do deslizamento ocorrido quer em cadeiras quer num leito, ou por arrastamento ao posicionar – forças de deslizamento e fricção.

Quem está em maior risco de desenvolver Úlceras de Pressão ?
Acamados;
Pessoas com diminuição da mobilidade – plégicos, alterações de consciência, fractura de anca;
Incontinentes;
Pessoas malnutridas.
Quais as regiões do corpo mais propícias a Úlceras de Pressão ?
As Úlceras de Pressão surgem com maior frequência sobre as proeminências ósseas, pois nesses locais ocorre uma maior pressão sobre a pele e existe um menor “almofadamento” pois há escassez de tecido adiposo.

As Úlceras de Pressão podem ser prevenidas ?
Sim, existem algumas formas de evitar o seu aparecimento.
Fonte: adaptado de http://www.clevelandclinic.org/health/health-info/docs/3600/3638.asp?index=12019 (acedido a 20 de Fevereiro de 2005)

sábado, Fevereiro 19, 2005

O Tema - 1.ª Parte

A tarefa de escolher um tema é sempre muito difícil... mas foi finalmente executada.
Após uma exaustiva análise dos meus temas de eleição, acabei por seleccionar as Úlceras de Pressão como tema central do blog.